quinta-feira, 24 de junho de 2010

Cinema Brasileiro

O cinema brasileiro é visto com um pouco de preconceito por muita gente, começando pelos próprios brasileiros - eu, por exemplo, hahaha. Isso acontece porque, geralmente, os filmes brasileiros são tentativas de comédia, filmes da Xuxa e do Didi ou filmes sobre favela. É para desanimar qualquer um. Mas, às vezes, nos deparamos com filmes brasileiros que são muito bons! Ontem mesmo vi Saneamento Básico - O Filme, que pe genial!
Decidi, então, comentar um pouco meus filmes brasileiros preferidos.

Apenas o Fim, 2008 (de Matheus Souza)

Érika Mader e Gregório Duvivier incorporam Antônio e sua namorada (não respectivamente nesta ordem), um casal de namorados que se encontram pela última vez, já que a garota decide fugir e nunca mais se encontrar. Então, durante o filme todo, eles têm uma bem-humorada discussão, mostrando o quanto são carismáticos, até nos levar a um final que nos deixa uma sensação triste.
É meu filme brasileiro preferido. Pode não ser grande coisa, mas, sinceramente, me encantou! Se quiser saber sobre o que mais acho desse filme, você pode ler um pequeno comentário meu clicando aqui.

Central do Brasil, 1998 (de Walter Salles)

A melhor atriz brasileira (em minha opinião), Fernanda Montenegro, brilha como nunca em um dos mais poderosos filmes nacionais, que foi até indicado ao Oscar. Na trama, Dora, que trabalha na Central do Brasil, escrevendo cartas para analfabetos. Um dia, uma de suas clientes, acompanhada do filho Josué, morre ao sair de lá, deixando o garoto sozinho. Então, Dora acaba se afeiçoando a ele e parte em uma viagem para o nordeste do Brasil à procura do pai do garoto.
O filme é muito sentimental e encantador, e foi dirigido pelo meu diretor nacional predileto, o competente Walter Salles, que também já dirigiu filmes em outros países.

Saneamento Básico - O Filme, 2007 (de Jorge Furtado)

A ótima Fernanda Torres, filha da Fernanda Montenegro (a do filme anterior, hahaha), é ótima em comédia. Isso podia ser visto em Os Normais, onde interpretava a maluca Vani. Aqui, nessa comédia inteligente e mega divertida, não é diferente.
O nome pode ter cara de documentário, mas na verdade, é uma comédia bem criativa, que conta a história e uma pequena vila gaúcha de descendentes italianos que sofrem com um esgoto aberto que causa um cheiro terrível. Então, um casal resolve tentar escapar pela única saída, que é gravando um vídeo para a prefeitura, um curta-metragem. Assim, com essa gente nada experiente na área cinematográfica, O Monstro do Fosso promete ser algo surpreendente.

Ilha das Flores, 1989 (de Jorge Furtado)
 
Segundo Jorge Furtado da lista. Eu, particularmente, detesto documentários. Mas este, de 13 minutos, é uma deliciosa exceção. O curta, narrado por Paulo José, aborda o tema da pobreza no Brasil, de um jeito descontraído e até um pouco "bem humorado", o que é bem irônico, já que o tema retratado é bem triste e profundo para todos nós.
Ilha das Flores é um depósito onde são jogados restos de comida estragado que, quando rejeitados pelos porcos do dono, é dado aos pobres, que tem cinco minutos para pegar o que quiserem. É uma cena tensa e impactante, que mostra o quanto triste é a pobreza mundial.

Abril Despedaçado, 2001 (de Walter Salles)

Novamente dirigido por Walter Salles, outro filme grandioso do cinema. O mais interessante do Salles é que, por mais chato que seus filmes possam parecer, não chegam a ficar desinteressantes em parte alguma. Este é o segundo exemplo da lista de que Walter sabe das coisas.
A história narra um conflito entre duas famílias nordestinas, onde um mata o outro e, quando o sangue do que morreu seca, está na hora de um da outra família morrer, e assim por diante, até que o personagem de Rodrigo Santoro decide acabar com isso. É um filme cheio de simbolismos e enigmas que devemos desvendar por nós mesmos, o que o torna mais legal.

Do cinema brasileiro:
Também gosto de: Lisbela e o Prisioneiro, entre outros filmes do Selton Mello (como A Mulher Invisível, Caramuru - A Invenção do Brasil), É Proibido Beijar, Trair e Coçar é só Começar.
Não gosto de: Xuxa Gêmeas, Xuxa e os Duendes, Xuxa e os Duendes 2 - No Caminho das Fadas, Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida, Didi - O Caçador de Tesouros (leia-se: filmes da Xuxa e do Didi em geral) e Um Copo de Cólera, Bendito Fruto, Casa da Mãe Joana...


Um comentário:

cineindiscreto disse...

Tbm não sou muito fã do cinema brasileiro pelos motivos que vc citou. É um cinema sem arte (a maioria) sem inteligencia (a maioria), cinema só de vulgaridade, só mostra favelas, só tem palavrão e tudo mais....

Mas como vc disse, venho me surpreendendo e muito com o cinema nacional, me surpreendendo positivamente e negativamente. Chico Xavier é horrendo e Lula é razoavel. Mas este ano me surpreendi com As Melhores coisas do mundo por exemplo e O Contador de histórias que se tornou meu 2º preferido. É simplismente maravilhoso.Assista hahahahahaa
Andinhu.